Desafio dos Rochas 2018, com recorde de câimbras do Jósa

Estivemos do Desafio dos Rochas 2018, a prova de 1 dia mais casca do Sul do País, junto de mais 1200 ciclistas e as mais de 8000 pessoas que passaram por Pomerode neste final de semana incrível. O Desafio dos Rochas 2018 não foi, assim como nunca é, só mais uma corrida de mountain bike, mas um encontro de famílias e amigos apaixonados por montanhas, trilhas, rios e vales.

Assista ao vídeo no Youtube… e assine nosso canal

Eu e a Alemoa não somos atletas de mountain bike. Somos os tais apaixonados por montanhas, trilhas, rios e vales. Somos apaixonados por estar #AquiFora porque acreditamos que #AquiForaÉMaisLegal. E mesmo assim, o Desafio dos Rochas 2018 estava novamente ao nosso alcance.

Não fizemos treinos específicos, muito pelo contrário. Não tivemos nenhum treino de subida e nenhum dos nossos treinos longos ultrapassou os 70km, e sempre acumulando bem pouca altimetria. Daí a encarar uma prove de 62km que acumula mais de 1200m positivos é a receita certa para quem, assim como eu, já ter tendências à câimbras ser atacado impiedosamente por elas. Isso aumentou muito o nosso tempo parado e atrasou nossa chegada. Mas nada que estragasse a diversão.

O Desafio dos Rochas 2018

A prova em si foi considerada por participantes das edições anteriores, a mais fácil de todas as 6 edições.

O percurso é diferente à cada ano e mantido em segredo até você finalizar a prova. Em 2018 ele não deixou de ser difícil e desafiador. Entretanto, quem realmente colaborou com os atletas foi São Pedro que parece ter atendido as preces da maioria. Uma semana inteira de sol e um dia de prova lindo tornaram as ótimas trilhas secas e rápidas. Bem diferente do Desafio dos Rochas 2017 em que as bikes ficavam com a relação entupida de lama e os pilotos, até mesmo de elite precisavam empurrar bike na descida.

Veja também  Gravel e Road, qual a diferença?

O clima por outro lado aumentou o trabalho dos bombeiros e do GRM, Grupo de Resgate de Montanha que a Família Rocha contratou para a prova. A descida do Morro do Strassmann estava seca, com muito macadame solto e escorregadia. Só que é um trecho beeem rápido. E exatamente por isso, veja a quantidade de bombeiros e socorristas você pode ver na descida mais perigosa do percurso. Eu contei 4. Veja também em uma outra trilha que a Bibi desce sozinha. Você pode ver pelo menos mais 2 socorristas nesse ponto. E porque? Porque o socorro tem que chegar rápido e a prova se preparou muito para isso.

Como quase sempre acontece, em vários momentos eu cheguei a me questionar sobre estar ali e concluir que seria minha última participação. Mais tarde, ao cruzar a linha de chegada eu já pensava na preparação para o Desafio dos Rochas 2019 🙂

About JosaJr

Um sujeito que mede o seu próprio sucesso pelo que inspira outras pessoas a fazerem de bom pelas suas vidas. Um eterno sonhador, corredor, artesão, cozinheiro, fly fisherman, criador do Endorfine-se, portal multi esportivo para quem corre ou pedala na rua e na montanha. Um belo dia resolveu levar uma vida mais saudável e perdeu 28kg em 5 meses e agora quer dividir com todo o mundo o que aprendeu e ainda vai aprender \o/

JosaJr

Um sujeito que mede o seu próprio sucesso pelo que inspira outras pessoas a fazerem de bom pelas suas vidas. Um eterno sonhador, corredor, artesão, cozinheiro, fly fisherman, criador do Endorfine-se, portal multi esportivo para quem corre ou pedala na rua e na montanha. Um belo dia resolveu levar uma vida mais saudável e perdeu 28kg em 5 meses e agora quer dividir com todo o mundo o que aprendeu e ainda vai aprender \o/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *